"Assim como o amor e a música, o xadrez tem o poder de tornar os homens felizes." (Tarrash)

segunda-feira, 22 de janeiro de 2007

Ah, o xadrez...

Todos os enxadristas, bons ou ruins, se igualam frente a derrota. Todos já perderam alguma vez. Nesse esporte metacorporal, não há justiça divina. Estamos todos condenados.
A vitória? Ah, o que ela importa, se o que nos faz persistir mesmo é a derrota?
Quem ganha acaba sempre perdendo a possibilidade de sofrer. Desesperadamente, apaixonadamente.
As verdades estão nos espinhos.

"Os que choram pouco, ou não choram nunca, acabarão apodrecendo em vida." (Nelson Rodrigues)

3 comentários:

José disse...

De onde vc tirou essa sacada trágica do grande Nélson? A perspectiva dramática da derrota. O tabuleiro como simulacro da tragédia humana. Afinal, o que move um capivara a continuar jogando? E perdendo? Como na vida, continuamos tentando... Gordos capivaras sacrificados pela eternidade... E com que prazer!

taís_julião disse...

olá José! Essa frase do Nelson Rodrigues está em "Flor de Obsessão". Obrigada pela visita.

PC disse...

Cara Taís Julião,

"Ah, o xadrez ..." Ah, o amor! ...andamos suspirando pela vida, de tanto chorar as emoções, de parar um minuto e lamentar um instante de magia que se perdeu! De arrepender-se de não ter dito uma palavra carinhosa para alguém, ou de ter feito algo doloroso para uma pessoa que se ama! Ou suspiramos por não ter tido a coragem de dizer "eu te amo" no momento em que o amor se fez presente! O que Nelson Rodrigues quiz dizer é que quando nos falta essas coisas tão vitais, alí naquele coração, a seiva da vida não mais corre!

Beijão,

PC2009