"Assim como o amor e a música, o xadrez tem o poder de tornar os homens felizes." (Tarrash)

quarta-feira, 24 de janeiro de 2007

Exposição de fotos



Fonte: http://www.kenlight.com/publications/texasdeathrow/chess.html

(No corredor da morte)

3 comentários:

José disse...

Me lembra o xadrez como lenitivo para a solidão do "Dr. B" no cárcere nazista em livro de Stefan Zweig. Recomendo a todos (as).

taís_julião disse...

Olá josé! sabe o que me lembra?
Que esse mundo é maluco mesmo, e a eminência da morte não é mais eminência.
obrigada pela visita!

PC disse...

Esse não almeja ser campeão um dia! Mas quem disse que o objetivo de jogar xadrez é ser campeão! Não importa qual a nossa situação, jamais teremos todo o tempo que precisamos para o xadrez.