"Assim como o amor e a música, o xadrez tem o poder de tornar os homens felizes." (Tarrash)

terça-feira, 23 de janeiro de 2007

A doença russa (sobre o filme "Febre do Xadrez" -1920)


Um homem fanático por xadrez; uma mulher que odeia. Esses são os personagens da divertida película russa Febre do Xadrez, da década de 1920.
A vida do jovem enxadrista é marcada pela obsessão pelo jogo. Tudo a sua volta lembra xadrez, inclusive suas meias! Embora tente acompanhar o cotidiano de sua vida, a rotina simples de um jovem russo, isso lhe parece uma tarefa impossível. Tudo a sua volta o seduz, o xadrez está em toda a parte na fria Rússia.

Sua namorada, uma jovem bela que não agüenta mais a paixão de seu amado pelo xadrez, sofre com as sucessivas mancadas de seu parceiro, sempre atrasado. Enquanto as lágrimas são derramadas, ele é atraído brutalmente para uma partida de xadrez.

No encontro, muito tempo passado, a mulher está furiosa. Não quer saber de nada, e alerta ao quase ex-namorado que ele deverá escolher: ela ou o xadrez.

Entretanto, ela não entende que existe uma força maior que ele, incrivelmente tentadora, que o leva ao jogo. Ele promete tentar se livrar do xadrez, mas em seu íntimo sabe que terá dificuldades. Todos estão contaminados pela febre do xadrez.
A pobre moça, desolada com sua triste sina, vagueia pelas ruas tristes do inverno russo... Inconsolada, um homem a percebe e a sorri. Estará ela novamente apaixonada?
O homem que a consola é o GM cubano Capablanca (ele mesmo, em carne, osso e muito xadrez!), em trajes elegantes e ar galante. A moça não resiste. A paixão pelo enxadrista toma conta dela, e por tabela, pelo próprio xadrez.
O outro, ex-namorado sem saber, caminha descontente com o ocorrido. Deprimido, dirigi-se a um torneio de xadrez que está ocorrendo na cidade, buscando esquecer sua tragédia amorosa. O local está lotado, muitos espectadores, entre eles uma inesperada surpresa: sua grande amada!
A história se resolve de um modo romântico e apaixonado, em meios a xeques e mates...

O filme é em preto em branco, mudo (vejam bem, estamos na década de 1920...), e com as falas escritas em russo! Ou seja, como meu russo se limita aos nomes dos mais conhecidos jogadores de xadrez (Kasparov, Karpov, entre outros “ovs”!), a interpretação é livre. Talvez uma tradução traga algum detalhe importante... Espero que eu seja perdoada por tamanha falha: não falar a língua do xadrez.

Riqueza de imagens de uma Rússia que não conhecemos; trilha sonora refinada e cenas divertidíssimas. Um humor pra lá de enxadrístico! Vale a pena conferir a mais famosa doença russa: o xadrez.
A indicação foi do amigo e professor José Meneleu, de Fortaleza. Está disponível no site RussiaNet, e necessita do Google Media Player na visualização.

10 comentários:

Filipe disse...

"Espero que eu seja perdoada por tamanha falha: não falar a língua do xadrez."
Que é isso amiguinha...
Quem outorgou tal veredicto ?!?
Que eu saiba a linguagem do xadrez é a algébrica ou a descritiva, e4, Nf3 etc...
E quanto aos pobres russos, que eu saiba, na lista dos 3 melhores jogadores de todos os tempos (Paul Morphy, José Raul Capablanca e Boby Fischer), não consta nenhum russo, aliás talvez o único que conseguiria chegar perto dos "Meus grandes Predecessores" seria o autor deste livro, e acho que o Dr. Alekhine tbm...
E é sempre bom lembrar que, embora o atual campeão do mundo seja Russo, todos sabem que o melhor da atualidade é Búlgaro ! E o provável próximo campeão mundial será do Azerbaijão !

Jerry disse...

magnífico...parabéns pelo blog Taís.

taís_julião disse...

Oi Filipe, obrigada pelo comentário! Mas quando falo língua do xadrez, estou me referindo ao país que mais tem jogadores titulados, é uma forma indireta de dizer que é o lugar onde o xadrez possui muitos adeptos... Não seja literal, amiguinho! Mesmo assim, valeu pela visita! Abraços!

Filipe disse...

Tá blz, Taís...^^"
É só pq eu acho já está na hora do xadrez ter um novo foco... (pra variar um pouquinho...)
Precisamos de um Campeão Latino-Americano ! Brasileiro de preferência(nunca é d+ sonhar né...), mas pode ser dos nossos hermanos tbm, ou cubano(Leniner Dominges é um nome forte, o kara tá jogando pakas).
E parabéns aew, pelo blog tbm, gosto muito das anedotas daki...
1 abraço... xÞ

José disse...

Grande trabalho de divulgação Taís. A "combinação" de xadrez e cinema mostra suas possibilidades nessa preciosidade russa. Aguardo as legendas em português para ampliar ainda mais o acesso de todos(as). Parabéns.

taís_julião disse...

fala José! já consegui uma tradução das legendas, posso repassá-las aos interessados.
obrigada pela visita!

robozoide@hotmail.com disse...

eu gostaria de saber,onde posso alugar ou comprar este fime no brasil(algum de vcs gostariam de jogar online)

Reginaldo disse...

Olá passei pra deicha um oi bem grande , gostei pacas do seu blog e aliás você é uma pessoa maravilhosa , bem acho que por enquanto basta , pois se eu for falar tudo que penso de você vou fica a noite toda aqui , mas saiba que apesar do pouco tempo que a conheço você mora já do lado esquerdo de meu peito by Jonnes

Paulo Antonio dos Santos - paulchess10 disse...

Olá Taís. Aqui é o Paulo do blog "Minhas Memórias Enxadrísticas". Você tem legendas em português para esse filme? Agradeço muito!

rosinaldo disse...

eu gostaria do filme legendado e
gostaria de jogar com vc's
mande noticias